• ONTOCRACIA
    Um Novo Começo
  • A corrupção.

    Qual a causa da crise actual?

    Está a ficar cada vez mais óbvio que os seres humanos em todo o mundo estão gradualmente a deteriorar-se, a degenerar-se, tornando-se mais e mais corruptos.

    Através da procura de poder, posição, dinheiro e não se preocupando minimamente com o outro. Isto está a ficar mais e mais claro. Há um declínio bastante rápido.

    Este problema existe também em outros países.

    Como podemos como seres humanos a viver neste país, salvar este país? Resgatá-lo? Não somente moralmente, eticamente, esteticamente e religiosamente.

    A mente humana está a ficar mais e mais mecânica, repetitiva, aceitando as coisas como são ou a tentar salvar o seu próprio recanto nesta terra.

    E se alguém estiver disposto a ajudar este país, a salvá-lo, a resgatá-lo, tal não está nas mãos dos políticos, nem nas mãos dos cientistas, nem dos economistas e certamente nem nas dos gurus.

    O que devemos fazer?

    O que vai fazer? Qual é a sua responsabilidade? Sabendo que há corrupção e, aparentemente esta corrupção tornou-se o modo de viver. O país aparentemente está a cair aos bocados.

    Cada um a lutar por si mesmo. Cada um, muito ou pouco, tanto externa como internamente corrupto. Como vamos nós, seres humanos, salvar esta parte específica do país, resgatá-la?

    Existirá um grupo de pessoas que é absolutamente incorruptível? Que tem uma integridade absoluta? Não dizer uma coisa e fazer outra. Acreditar em algum tipo de ideal, algum tipo de crença, adorar uma imagem e depois serem totalmente egoístas em outras situações.

    Para fazer surgir o resgate deste país, deve haver algumas pessoas que têm este sentido de profunda integridade e absoluta incorruptibilidade. Será isto possível?

    Isto não acontece só nesta parte do mundo, mas também em todos os países. Cada um por si. Isto tem acontecido ao longo da história. Provavelmente desde o início do homem que estamos a viver a partir do centro do ego, o “eu” primeiro e assim cada um está a lutar com o outro, convencendo o outro do seu próprio ponto de vista e assim por diante. Assim como também religiosamente. Ir ao templo à mesquita ou à igreja perdeu todo o seu significado.

    O medo é que nos fez ir aos templos, não o amor. Perguntamo-nos se nesta parte do mundo existe de facto amor, ou somos todos dominados pelo intelecto?

    O intelecto sendo a capacidade de pensar, de discernir, de escolher, de distinguir. E, quando o intelecto se torna muito mais importante do que o amor, como está a acontecer em todo o mundo, existirá inevitavelmente não somente destruição física, como a guerra, mas também existirá deterioração da moral, da ética, e de um modo de vida que essencialmente valha a pena, que seja significativo. Agora tendo dito isto, qual é a nossa responsabilidade?

    A maioria das religiões, como é observável têm tentado encontrar a salvação para o indivíduo. A alma individual, a individualidade, a liberdade individual, o empreendimento individual e assim por diante. A individualidade tem sido enfatizada, mas não estamos a falar sobre a salvação do indivíduo. Não há redenção para o indivíduo. Vou esclarecer cuidadosamente cada declaração que é feita. Não há salvação para a pessoa, para o indivíduo, para o você.

    Existe apenas a mente, a humanidade da qual fazemos parte. Nós somos os representantes de todos os seres humanos. E se estamos meramente preocupados com a nossa própria salvação em particular, então essa salvação é o fomento do egoísmo. É necessário que examinemos o por quê dos seres humanos se tornaram o que somos. Estamos a examinar o por quê de nós, seres humanos, onde quer que vivamos chegámos a este estado. Onde nos tornámos corruptos, mecânicos, sem nenhum sentido de integridade. Porquê? Qual é a causa?

    Todos nós queremos fazer algo quando nos vemos numa crise como esta, uma crise psicológica quanto física. Está a tornar-se mais e mais perigoso viver neste mundo. Mais e mais assustador. Já devem ter notado isso. E qual é a causa, ou as muitas causas que reduziu o homem que você é ao estado actual?

    Sabemos o que está a acontecer no mundo: pobreza, superpopulação, maus governos confiando em especialistas e assim por diante. Existe muita confusão da mais alta à mais baixa classe social. E observando tudo isto qual é a causa?

    Antes de perguntar o que devemos fazer ou que acção devemos tomar, primeiro precisamos de examinar as causas. Quando compreendermos as causas, a partir daí, a acção acontece.

    Mas a maioria de nós está tão ansiosa para agir, para fazer algo em relação a esta confusão. Então juntamo-nos a grupos, tornamo-nos reformadores sociais, juntamo-nos aos partidos (comunistas, socialistas) ou a qualquer partido político (esquerda, centro, direita e assim por diante).

    Estamos preocupados apenas com o agir. “Alimente o pobre”, “ajude a classe mais baixa da sociedade” e assim por diante. Com certeza, não estamos a negar que isso não precise de ser feito, mas antes de agirmos, precisamos descobrir por nós mesmos a causa de toda esta confusão na qual nós seres humanos vivemos.

    Porque é que o homem se tornou tão egoísta, tão corrupto, sem qualquer senso de integridade? E o porquê de não existir amor? Então dizemos, vamos primeiro, antes de agir, descobrir por nós mesmos quais são as causas, ou a causa que geram a crise actual no mundo, não somente na família, mas também na comunidade, na nação, colocando uma nação contra a outra, guerras, e todo o resto do caos que continua ao nosso redor.

    Porque todos nós somos responsáveis pelo estado actual? Não os governos, não os economistas, não os gurus, mas nós, como seres humanos a viver onde quer que seja. Porque é que estamos a tornar-nos mais e mais egocêntricos, mais e mais desonestos, mais e mais supersticiosos, com tanto medo deste mundo. Este é um belo planeta, é o nosso planeta. Você está destinado a viver feliz nele, com um sentimento de afeição, cuidado, amor e aparentemente tudo isto não existe.

    Então podemos perguntar-nos. Qual é a causa disto tudo? Será a nossa religião que foi inventada pelo homem? Serão os nossos ideais, projectados pelo pensamento, pelo homem? Será a nossa actividade egocêntrica? Será que demos tremenda importância ao pensamento, ao intelecto?

    Porque é que existem as divisões nacionais, as divisões religiosas? Existe cada vez mais a desintegração nos seres humanos. Tudo isto já nós sabemos. Você já sabe disto tudo. Então não é necessário somente agir, mas juntos descobrirmos qual é a causa da miséria humana.

    Estão à espera de uma resposta do orador? Se ele responder ou explicar as causas ou a causa, então haverá argumentação. Haverá explicações que se oporão. Cada uma de acordo com a sua experiência em particular. De acordo com o seu conhecimento específico. Com o seu preconceito, com as suas conclusões e assim por diante.

    Então o que devemos fazer? Compreendem a minha questão? Existe e deve existir uma causa, ou causas para tudo isto. Como é que você aborda o problema? Como é que você olha para o problema? Como é que você recebe o problema? De que não há amor neste país. Amor de uma árvore, de uma rocha, amor de um homem, o amor de uma mulher. Isto não existe. Quando você pergunta porque isto não existe estão totalmente inconscientes até desta palavra. Então como é que você enquanto ser humano vivendo neste país, com todas as coisas que estão acontecendo aqui, como você descobre a causa de tudo isto?

    Como é que você ou alguém examina um problema? Sendo o problema neste momento, o porquê do amor não existir no seu coração. Amor sendo cuidado, preocupação, responsabilidade e esse sentido de grande beleza que acompanha o amor. Porque é que ele não existe? Esse é talvez o maior problema. Como é que você o aborda?

    Você ama alguém? Você ama a sua esposa ou esposo? Você ama a terra? O mendigo errante?

    Amor é diferente de devoção. Quando você é devoto de algum deus de algum templo, de alguns ideais, de algum país, por detrás disso existe um motivo tornando-se uma troca: “Eu dou-lhe isto e você dá-me aquilo”. É por isso que vocês vão aos templos ou vão aos vossos gurus. É uma troca.

    O Amor não tem motivo. Ele não pede nada. Quando estamos a pedir, talvez esse seja o maior problema que estamos a enfrentar neste mundo.

    E porque é que os seres humanos não têm esse perfume, essa qualidade, essa bem-aventurança?

    Agora, se essa for a causa maior, então como é que vai abordar o problema?

    O problema sendo: porque é que você, como ser humano neste mundo maravilhoso, nesta linda terra, porque esta qualidade, este sentimento de amor, compaixão, cuidado, afeição profunda. Porque é que os seres humanos não têm isto?

    Depois de ter colocado esta pergunta como você a considera?

    Você diz: “Sim, nós amamos verdadeiramente a nossa família”
    Você realmente a ama?

    Você sabe! Sem essa única qualidade, faça o que fizer, pode ter governos maravilhosos, mas nunca poderão realmente ser. Pode ter grandes estadistas e ter todos os seus problemas económicos resolvidos, mas sem isto, a nossa vida torna-se vazia, superficial.

    O amor é para ser cultivado? Como você cultiva uma planta ou cultiva o conhecimento?

    O amor é para ser cultivado? Ou ele existe somente sem nenhum sentido de actividade do pensamento, quando o ego não existe, quando existe a total negação do egoísmo. Então, será essa a razão por que os humanos ao redor do mundo estão a tornar-se mais e mais egoístas, mais e mais egocêntricos, mais e mais com sentido de realização individual, de salvação individual.

    Quando isto é enfatizado o egoísmo torna-se de extrema importância, começa a ser racionalizado, aceitando intelectualmente a necessidade dele existir e inconscientemente, profundamente, nunca estando livre dele. É esta a razão dos seres humanos se terem tornado no que somos? Então qual é a sua responsabilidade?

    Como podemos salvar este país? Poderá haver um grupo de pessoas que é absolutamente incorruptível.

    A corrupção não existe apenas ao nível superficial, como passar dinheiro sob a mesa. Essa é uma coisa muito pequena. A corrupção é muito mais profunda, porque ela está na mente. A corrupção é o exercício do pensamento para o seu próprio benefício. Corrupção é quando há contradição na própria psique. Quando há conflito e quando esse conflito continua por uma duração de tempo trazendo corrupção. Quando o pensamento está apegado a uma ideia em particular, experiência, a uma nação específica, a uma determinada crença, dogma. Tal apego irá inevitavelmente criar corrupção. E porque será que nós não temos nenhum senso de integridade? A palavra “integridade” significa ser inteiro, integral. E quando observamos, nós somos seres humanos desintegrados, fragmentados, violentos e no entanto tentamos buscar a paz. Gananciosos e tendo o seu oposto, assim sempre estamos em conflito. Isto é corrupção. Isto indica uma falta de integridade, indica desonestidade.

    Então, o que devemos fazer como seres humanos, vendo talvez a causa básica da nossa degeneração. A partir daqui o que devemos fazer?

    Tendo encontrado a causa ou as várias causas, este total desprezo pelo outro, a total preocupação por si mesmo, que se identifica com a nação, com a família, com os deuses nos quais acredita. Todo este movimento da acção egoísta. E isto pode ser uma das causas da miséria actual. Percebendo isto, qual é a nossa acção?

    Não somente como um ser humano vivendo nesta parte do mundo, mas cada ser humano é representante de todos os outros seres humanos. Não sei se já observaram isso. O seu cérebro não é o seu cérebro. Esse cérebro evoluiu através do tempo, milhões e milhões de anos e se você o considera como o seu cérebro em particular você reduziu esta capacidade enorme da sua energia a algo muito pequeno.

    E quando você se considera um indivíduo, livre para escolher, livre para fazer o que gosta, você é realmente um indivíduo? Ou é o resultado da sua cultura, da sua tradição, da sua superstição, de todos os livros que você leu, ou não leu. Será você realmente um ser humano total, integrado, não dividido, indivisível, não desintegrado? Somente tal pessoa é um indivíduo.

    Então, tendo ouvido tudo isto. Qual é a sua acção?

    Como é que você vai viver neste país, salvar este país?

    Ou você está a permitir, a deixar este país ruir? Ele está a desintegrar-se, tal como os indivíduos, como os seres humanos se estão a desintegrar.

    Existe também outro factor que está a surgir no mundo: os nossos cérebros estão programados como um computador. Vocês são hindus, budistas, católicos, seja lá o que forem, ou seja, o cérebro está programado, condicionado pela repetição constante, tradição, conhecimento, que é o que um computador é.

    O computador e o robô vão tomar conta do mundo. Isto está a chegar. Todo o trabalho ao qual o homem se dedicou. Fábricas vão ser dirigidas por computadores e assim por diante. E Então, o que é que o homem vai fazer? Entendem a minha pergunta? Isto está a chegar. Já está acontecendo. Então você tem este problema. Não só a salvação deste país que é a sua responsabilidade, totalmente sua.

    Você é totalmente responsável por si próprio. Se você é corrupto o seu país é corrupto, tudo é corrupto. Se você não tem senso de integridade, faça o que fizer, irá sempre ser destrutivo. Isso é um problema. O outro problema é que você vai ter bastante lazer, talvez não dentro de poucos anos, agora, talvez em vinte anos. Você terá bastante lazer. O que você vai fazer com isso? Estes são os problemas que você terá de enfrentar. Não encontrar uma resposta. Os problemas só existem quando você está a tentar encontrar uma resposta. Mas quando você examina o problema em si com toda a sua complexidade, nesse problema está a resposta e não distante dele.

    Então, as nossas mentes. A mente é diferente do cérebro. Não sei se está interessado em tudo isto. Como ser humano devia estar. O cérebro evolui através do tempo. O tempo tem sido o factor central da actividade do cérebro: tempo para aprender, tempo para adquirir conhecimento, tempo para aprender uma habilidade, tempo para aprender um idioma, para dirigir um carro. Então, o tempo é o factor central da actividade do cérebro. A mente é totalmente diferente do cérebro. A mente é o movimento todo, o qual não está envolvido no tempo. É aí que entra a meditação.

    Qualquer conhecimento que o homem tenha adquirido, armazenado no cérebro e, desse conhecimento, o pensamento surge. Então, é parte da nossa actividade diária. Portanto, pensamento é tempo. E toda a nossa perspectiva está dentro do campo do tempo. Isto é: “Eu serei”, “Se sou ganancioso não o serei, ou violento”. Se somos violentos, você leva tempo para não o ser e assim por diante. Então, todo o movimento do pensamento está baseado no tempo. Então, a estrutura da psique, a estrutura psicológica, também está baseada no tempo.

    Enquanto não compreendermos a natureza do tempo, a mente, então, fará parte do próprio tempo. Isto é tudo grego para vocês? Provavelmente é, mas não tem importância.

    Então senhores e senhoras, qual é a nossa responsabilidade na salvação deste país? É sua responsabilidade, somente sua e de ninguém mais. Não do governo, não dos economistas, não dos ambientalistas, dos trabalhadores sociais, de ninguém. Você é a única pessoa responsável. Por isso é muito importante que nós não somente sintamos, mas que nos encarreguemos desta responsabilidade, de modo que, a partir dessa responsabilidade, comecemo-nos a preocupar. Responsabilidade não é dever, “dever” é uma palavra feia. Responsabilidade tem um grande significado. Você é responsável pela sua família, pelo seu filho, pelo seu vizinho. E quando essa responsabilidade é transferida para outro, para o seu guru, para o seu político, para o especialista, aí você se torna um simples robô. Foi isto que fizemos. Nós nos entregámos a todas as autoridades que existem no mundo. Nós nos tornámos incapazes de pensar por nós mesmos. De olhar para os factos como eles são. O facto de que você não ama. Isso é um facto. E viver com esse facto. Perceber como sem ele, nos tornamos brutais, negligentes. E quando vive com o facto de que você não ama, apercebe-se do que acontece com a sua mente e com todo o seu ser.

    Perceber não como uma ideia, mas como um facto real, diário. Então, toda a sua abordagem da vida é totalmente diferente. Você torna-se sensitivo, torna-se vivo, fica disponível, apaixonado para mudar aquilo que não é verdadeiro.

    Então, se você descobrir a causa da catástrofe neste país, encontrando a causa, você precisa agir, ou seja, remover a causa. Remover a causa é observar a causa. Não é tentar mudar a causa. Se sou corrupto, observo o que é essa corrupção. Como foi dito, existe corrupção quando há apego, seja à sua família, à sua crença, à sua profissão, a um determinado dogma, a uma crença. Então irá inevitavelmente existir corrupção. Se sou apegado a uma crença, sou apegado a ela porque encontro satisfação, segurança nessa crença. Essa crença pode ser uma ilusão, mas estou apegado a ela. Então, esse apego separa-me do outro que acredita em outros, que também tem os seus próprios apegos. Logo existe conflito entre nós. Se você é apegado à sua mulher ou ao seu marido o que acontece? Fica ansioso, com medo, com ciúmes. E quanto mais for apegado, tanto maior se torna a agonia. Então, onde existe apego, existirá corrupção. Isto é um facto. Isto é a verdade. Agora, o que você vai fazer com isto?

    Ou vai procurar um monte de explicações, ou racionalizar e dizer: “Sim, Aceito isso tudo, mas precisamos viver neste mundo”. Então, tal mente é uma mente corrupta. Portanto, a responsabilidade é sua de ser absolutamente incorruptível. E de ter esta integridade que seja como uma rocha. Você alguma vez observou um rio a correr com uma enorme pedra no meio e aquele grande volume de água sem conseguir empurrá-la? Ela fica estável, imóvel e então a água passa à volta dela. As nossas mentes, as nossas vidas precisam ser assim para fazer surgir a salvação deste país, que significa a salvação do ser humano.

    Jiddu Krishnamurti

    PS: Embora esteja a falar da India, é algo que afecta a maioria dos países, inclusive Portugal.